Número total de visualizações de página

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Fraquinha, mas boa!

Naqueles tempos de brincadeiras parvas havia o costume de embebedar pobres diabos para chacota geral ao vê-los aos tombos, desnorteados,
-- Espetámos-lhe com tamanha bebedeira nos queixos que o tivemos de levar de carro de mão a casa! 
Era o que fazia grupo de rapazolas, mortos de riso, a encherem copos atrás de copos de bebida branca a velhote já senil: -- Ti Jaquim, beba mais um copo! Que tal é ela?
-- Obrigado, rapazes, é fraquinha mas é boa! 
Preocupado, o meu pai chega-se, a tentar evitar desgraça: -- Vocês ainda matam o velho!
E um dos rapazes, a chorar de riso, dá-lhe a cheirar o garrafão: -- É água!
E o meu pai, para poupar o pobre diabo à judiaria: -- Ti Jaquim, não beba mais senão fica transtornado!
-- É isso, rapazes. Muito obrigado, mas fico por aqui, que já me está a trepar à cabeça!

Sem comentários: