Número total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Nome profético

A empresa pública criada pelo governo para recuperar calotes chama-se Parvalorem:

Há, portanto, razões de sobejo para dizer Parva-lorem em vez de par-valorem: parva é a figura que fará ao tentar recuperar os calotes; lorem, de lorem ipsum, texto que na linguagem jornalística serve para encher espaços...

2 comentários:

Anónimo disse...

Fica muito mal a um "escritor"(a deduzir do que está na informação biográfica) demonstrar tanta ignorância: o "lorem ipsum" não é um texto para encher espaços, é um texto latino padrão que serve de teste gráfico para aferir que a atenção do leitor não se prende a formatações ou outros aspectos visuais que o possam desviar do que é essencial.
Para o sentido da expressão que aglutina "par" e "valorem" sugiro que consulte quem o possa esclarecer melhor. Assim, já não virá para aqui fazer figuras de leitor do Correio da Manhã.

Cumprimentos

Maria Luísa de Álvares

Jose Catarino disse...

A "ignorância" decorre da sua precipitação (ou má fé?): tivesse clicado no link que deixei para lorem ipsum e verificaria que todos os seus ensinamentos eram escusados. Não inclui essa informação no post por não ser pertinente -- apenas me interessou o jogo de palavras -- e por falta de tempo (escrevi-o no intervalo entre duas aulas). Mas tive o cuidado de deixar o link, precisamente a pensar naqueles (ou naquelas) que à luta de ideias contrapõem a ofensa. E atrevo-me a recordar a pessoa tão sabedora que no Correio da Manhã, que também leio, escrevem e escreveram pessoas tão interessantes como, por exemplo, o escritor e poeta Francisco José Viegas, até entrar para o governo.
Vá passando, mas critique os textos e não o autor -- ou um jornal que nenhuma culpa tem no cartório.