Número total de visualizações de página

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O bosão de Higgs

 O bosão de Higgs fascina-me desde que ouvi falar dele, não muito tempo atrás. Pelo que julgo ter compreendido, o dito bosão (não faço ideia do que isso seja) preenche o espaço como um oceano infinito e dá massa às partículas que com ele interferem, de forma semelhante à resistência que sentimos ao caminhar na água. Se uma partícula, um fotão, por exemplo, não  interfere com ele, não tem massa. Faz sentido, até porque parece não existir explicação alternativa para a existência da massa. O que não entendo, e não vi ainda explicado em lado nenhum, é (i) o que dá massa ao bosão de Higgs (cento e tal vezes a do protão) e (ii) sendo ubíquo porque é que é tão difícil de encontrar.

2 comentários:

Anónimo disse...

O bosão de Higgs é, na verdade, uma partícula. O mecanismo de Higgs é o tal "oceano imenso", e o bosão está para esse mecanismo como os fotões estão para a luz. Não sou da área, mas pelo que percebi é o seguinte: o mecanismo permite integrar a massa das partículas nas equações, e com ele os cientistas têm conseguido prever a localização e a massa de outras partículas. Infelizmente, ainda não conseguiram ver o bosão de Higgs, mas poderão vir a conseguir com base na massa das partículas encontradas no detector. Espero ter ajudado, mas também não sou expert na matéria.

Jose Catarino disse...

Muito obrigado pelos esclarecimentos. A questão interessa-me muito mais do que vitórias no futebol ou medalhas nos Jogos Olímpicos, porque gostaria de saber um poucochinho mais sobre o que sou, de onde venho, o que me espera, o que é o Universo em que vivemos.
E continuo intrigado com essa partícula que "dá" massa às outras e tem, ela mesma, uma massa elevadíssima, cuja origem parece inexplicada.
Mais uma vez, muito obrigado pelos esclarecimentos.