Número total de visualizações de página

quarta-feira, 6 de março de 2013

Na morte de um caudilho


(Poema de Bertolt Brecht, retirado daqui)

A propósito da notícia da doença de um poderoso estadista
Se este homem insubstituível franze o sobrolho
Dois reinos periclitam
Se este homem insubstituível morre
O mundo inteiro se aflige como a mãe sem leite para o filho
Se este homem insbubstituível ressuscitasse ao oitavo dia
Não acharia em todo o império uma vaga de porteiro.

(tradução de Arnaldo Saraiva)


Sem comentários: