Número total de visualizações de página

sábado, 5 de janeiro de 2013

A arte da poda

-- O primeiro podador foi um burro. Corolário:  qualquer burro sabe podar.
Os entendidos, porque também no que à poda concerne não faltam especialistas, sorriem superiores. Há uma poda para isto, outra para aquilo. Uma para ter grau, outra para conseguir grande produção. Uma para a Trincadeira, outra para o Fernão Pires. Outra...
Nem me canso a responder. Afinal, eu podo, eles não. Em vez de argumentos, conto a história, que ouvi ao Tio António Matos, saudoso vizinho já falecido:
"Um homem tinha uma videira e um burro. A videira não dava nada e um dia o burro soltou-se e roeu-a. Naquele ano, a cepa desfez-se em uvas e o homem passou a fazer como o burro, com uma tesoura em vez dos dentes."
Por isso, digo eu, se precisam de podar vinhas, aprendam com os burros. Esqueçam as teorias e cortem.
FOTO: hoje, a podar a minha vinha.

2 comentários:

Jose Catarino disse...

Um Jeito Manso deixou um novo comentário na sua mensagem "A arte da poda":

Assim farei. Se já é época de podar, amanhã vou já tratar disso.

Jose Catarino disse...

Acidentalmente apaguei o comentário de Um Jeito Manso: o dedo, engrossado pela poda, tocou em Apagar em vez de Publicar...
Sim, é agora, no período de dormência invernal, que se podam as plantas de folha caduca. Como o frio tem sido pouco, tanto as cepas como os meus pessegueiros têm já os olhos inchados, prestes a abrolhar. Os últimos dias foram quase primaveris.